Anthem seguirá os passos de Destiny?


E Electronic Arts e a querem dar para a mesma longevidade que a Activision e a Bungie prometeram para Destiny, quando o jogo foi anunciado. Na ocasião, disseram que o game seria uma aventura de 10 anos, para a incredulidade de muitos. Porém, como será que eles pretendem fazer isso? Quais sãos os planos?

Veja também: Os 10 melhores games apresentados na E3 2017

Durante a E3 2017, Anthem foi citado rapidamente durante a EA Play e apresentado com mais calma na conferência do Xbox. Durante essa apresentação, o vice-presidente executivo da EA, Patrick Soderlund, comentou sobre os objetivos da empresa, “Anthem é um jogo social onde você e seus amigos farão missões e jornadas. É um jogo em que trabalhamos há quase quatro anos e, uma vez que o lancemos no próximo ano, acho que será o começo de uma viagem de dez anos para nós”.

Se essas palavras fossem ditas há quatro anos atrás, estaríamos perdidos, sem saber o que esperar. Porém, agora, é justo imaginarmos que Anthem deve seguir os mesmos passos de Destiny, ou seja, lançar um jogo completo a cada dois ou três anos e diversas expansões nesse meio tempo.

As semelhanças com a ópera espacial da Bungie não param por aí. Em Anthem, os jogadores também serão divididos em classes, encontrarão um sistema de loot e terão um hub social pacífico onde NPCs darão suas próximas missões. Se o game vai durar 10 anos e terá conteúdo em DLC para justificar esse prazo, é tudo especulação. Mas é certo que também será um game espacial com foco no modo cooperativo.

Anthem é descrito como action-RPG de mundo aberto onde os jogadores se juntam em grupo de quatro mercenários chamados Freelancers, homens com coragem suficiente para deixar a civilização para trás, explorar lugares de “beleza primitiva” e encontrar meios de salvar a humanidade. O game está projetado para sair em 2018 para PC, PS4 e Xbox One.

Anthem da Bioware

Para explorar ambientes hostis e enfrentar inimigos, os personagens vestem trajes futuristas chamados “Javellin”, que dão habilidades especiais e são personalizáveis, para atender as exigências de cada jogador. No vídeo acima, vemos também uma amostra de diversas ferramentas usadas para investigar o cenário e uma boa variedade de armas para derrotar os inimigos que encontrar pela frente.

Share this post

Pedro Cardoso

Carioca, jornalista e apaixonado por games, cinema e esporte. Jogo videogame desde o Atari.

  • Hannibal Bio

    Na torcida para ser um bom jogo!!

  • Wenderson Barbosa

    Não duvido, problema aí são dois. Destiny tem uma base de fãs que dão preferência para o jogo. O segundo e saber como a EA vai conseguir fazer isso, por que se for uma exploração de mundo igual vimos em Mass Effect Andrômeda vai ser meio tenso de cumprir está promessa.