Review: Ballistic Overkill


O jogo de tiro em primeira pessoa é uma produção da Studio, a mesma responsável por Horizon Chase, portanto, você pode esperar deste jogo muita qualidade de gameplay e acabamento impecável. O título foi lançado no dia 28 de março e está disponível para , e via Steam.

Veja também: Confira o review de Sniper Ghost Warrior 3

O Ballistic Overkill traz sete classes diferentes de personagens para os jogadores escolherem, cada um com suas próprias forças e fraquezas, 10 mapas com diferentes tamanhos e ambientações, mais de 80 tipos de armas e quatro modos de jogo: Disputa de Times, Todos contra Todos, Captura de Pontos e Rei do Pedaço.

Ballistic Overkill

Com a união destas características principais, o game tem um ritmo muito intenso, dinâmico e é bem mais acessível do que outros jogos atuais, pois ele é otimizado para rodar em um PC mais antigo, sem problemas. No meu teste, rodei o game em um notebook Dell com processador Intel Core i5, 8 GB de RAM e chip gráfico Intel HD. Com essa configuração de hardware, o game rodou suave.

Apesar de ser um game acessível no que tange o hardware, ele pode não ser convidativo para os jogadores mais casuais. Jogos como Overwatch e Rainbow Six: Siege dão a cada jogador a sensação de que está sendo útil, mesmo que não seja bom em jogo de tiro. Ballistic Overkill é o oposto, pois ou você é muito bom, ou não conseguirá jogar.

Ballistic Overkill

Ballistic Overkill surpreende pela grande quantidade e variedade de armas disponíveis. Você realmente terá que aprender a manusear cada uma delas para dominar o game. Interessante também a evolução de cada personagem do jogo, sempre quando cada um sobe de nível, desbloqueia uma habilidade nova. Além de aumentar o fator replay, essa medida cria um verdadeiro equilíbrio entre as classes.

Outro aspecto que merece destaque é a boa quantidade de servidores disponíveis e a rapidez de conexão. Em poucos segundos, o jogador conecta em um mapa e começa a jogar de forma instantânea se tiver vaga em um dos dois times. Dificilmente sofri com lag em meus testes, mesmo quando jogava no WiFi.

Ballistic Overkill

Os gráficos, de uma forma geral, são simples, mas isso não significa que sejam feios. A Aquiris Game Studio fez um excelente trabalho ao conciliar um visual interessante sem fazer o jogo perder a agilidade em um PC mais modesto. Apenas peguei certa implicância com o movimento dos personagens adversários, que não parecem nada natural.

A trilha sonora de Ballistic Overkill é sofisticada e atraente, mas repetitiva. Porém, junto com o menu do jogo e as telas de transição, oferecem ao game um ar de sofisticação, diferente de outros jogos do gênero. Tudo é muito bem polido e de extremo bom gosto.

Por fim, se você é adepto dos jogos de tiro em primeira pessoa, Ballistic Overkill merece a sua atenção. O game é ágil, cheio de possibilidades e tem uma mecânica que deixa os jogadores em ação o tempo todo. Seu sistema de progressão torna o gameplay ainda mais viciante. Por outro lado, se FPS não é sua praia, não é por este título que você deve entrar neste mundo.

Gráficos8
Som7
Jogabilidade9
Diversão9
8.3

Pedro Cardoso

Carioca, jornalista e apaixonado por games, cinema e esporte. Jogo videogame desde o Atari.