Review: O Dia do Atentado


Ultimamente, eu tenho ido para ao sem ver qualquer trailer ou informação sobre determinada produção, e isso tem me proporcionado experiências bem gratificantes. O filme O Dia do Atentado é um bom exemplo. O longa dirigido por Peter Berg surpreende por ter uma estrutura narrativa muito bem definida e encadeada e ser dramático na medida certa.

Veja também: Confira a crítica de Guardiões da Galáxia Vol. 2

De modo geral, “O Dia do Atentado” é uma homenagem muito respeitosa às vítimas e policiais que estiveram envolvidos no atentado terrorista da maratona de Boston, em 2013. Reforçando a todo o momento a força daquela região para superar e se fortalecer, o filme deixa de lado o americanismo barato e foca no lado humano da questão. Sem dúvida, uma forma de tentar criar um vínculo emocional com o público no mundo todo, e não só dentro dos Estados Unidos.

Curiosamente, o pôster e o nome do filme no original em inglês (Patriots Day) depõe contra toda a proposta apresentada no filme, do começo ao fim. Evidentemente, essas escolhas criativas têm a clara missão de atrair o público interno ao cinema.

O Dia do Atentado

O filme é dramático, triste, emocionante. Mas um dos pontos mais interessantes, é que ele não tenta incluir mais drama do que o necessário. Na verdade, ele faz um recorte fiel dos acontecimentos daquela semana terrível para a história de Boston. Isso é reforçado pela própria linguagem utilizada durante todo o tempo, que mescla cenas reais com as do longa.

Ainda sobre isso, O Dia do Atentado tem uma estrutura de roteiro muito bem definida, que você vê em qualquer filme de tragédia do cinema de Hollywood. Primeiro, são apresentados todos os personagens em suas vidas comuns, depois, acontece o atentado e o resgate das vítimas. Logo em seguida, começa a fase da investigação e da perseguição aos criminosos. Você acompanhou boa parte disso tudo na TV na época, e não há surpresas ou spoilers aqui.

O Dia do Atentado

O elenco escolhido para contar essa história também é algo que precisa ser destacado. John Goodman, J.K Simmons, Kevin Bacon são grandes atores, que consegue dar o peso necessário para a trama. Porém, suas atuações são contidas, discretas, em respeito aos personagens reais que viveram todo esse terror. Eu só não consegui ter a mesma sensação com o Mark Wahlberg, justamente o protagonista. Não sei se é implicância minha com o ator (leve isso em consideração), mas não creio que ele conseguiu carregar bem um papel tão dramático como esse.

8.5
Assuntos Cinema

Share this post

Pedro Cardoso

Carioca, jornalista e apaixonado por games, cinema e esporte. Jogo videogame desde o Atari.