Review: Doutor Estranho


Quando você compra o ingresso, se arruma para ir ao shopping e entra no cinema para ver um filme da Studios, você sabe exatamente o que vai encontrar. E o filme do entrega tudo isso. Aquele entretenimento leve para a família, pitadas de humor, muita ação e personagens marcantes.

Veja também: Dragon Ball Super: onde assistir?

Se você leu o artigo sobre os 5 fatos sobre o Doutro Estranho nos quadrinhos que publiquei aqui no Videogame Mais, já sabe a origem do herói. Pois saiba que o filme tem a mesma premissa. Um cirurgião super capacitado e excessivamente arrogante que tem suas mãos paralisadas após um acidente de carro. Impedido de realizar a sua profissão, Stephen Strange procura soluções experimentais na medicina, sem sucesso. Como última esperança, ele vai até o Nepal em busca de uma cura definitiva.

Doutor Estranho

Ainda que seja um filme bem curto (mais do que eu gostaria), ele tem todas as suas etapas bem distribuídas. Doutor Estranho se salvou da maldição dos filmes de origem, que geralmente são enfadonhos e sem ritmo. A história é contida, trabalha apenas com dois núcleos e poucos personagens. Sem dúvida, uma forma esperta de minimizar os erros e elevar a importância de cada figura na trama.

Doutor Estranho

Cada um tem seu papel muito bem distribuído, e cada ator está representando muito bem o seu papel. Benedict Cumberbatch está excelente no papel principal, pois conseguiu captar a essência e brilhou com um protagonista diferente de tudo que já vimos na Marvel Studios. Outro destaque precisa ser dado para a Tilda Swinton, que passou muita credibilidade como “A Anciã”.

Aliás, minimizar os erros e os gastos também, pois parece que empenharam toda a verba em efeitos visuais, sem dó. A magia é muito bem representada, de várias formas. Mas me incomodou muito o excesso de lutas. Por outro lado, toda a baboseira de artes marciais foi compensada com a cena final, a última batalha contra a maior ameaça do filme. Acharam uma solução de roteiro muito inteligente, que preserva a mitologia do personagem nos quadrinhos.

Doutor Estranho

Talvez tenha faltado uma trilha sonora mais marcante, mais épica, para pontuar algumas cenas grandiosas. Após menos de 12 horas após o fim da sessão, você já não lembrará mais das músicas.

Em resumo, por todo o êxtase visual, Doutor Estranho é um filme que precisa ser visto no cinema. Se for em uma tela IMAX, melhor ainda. Não deixe passar essa oportunidade para não se arrepender depois. E desta vez existem duas cenas pós-créditos, um assim que o filme termina e outro após as letras. A primeira serve para inserir o personagem ao Universo Marvel dos cinemas, a segunda apenas chama a audiência para o segundo filme, já confirmado.

9

Pedro Cardoso

Carioca, jornalista e apaixonado por games, cinema e esporte. Jogo videogame desde o Atari.