Call of Duty: WWII terá recurso anti-cheat


A Sledgehammer e a Raven, estúdios responsáveis pelo , revelaram que o jogo terá recursos anti-cheat baseados no feedback dos jogadores durante a fase Beta no PC. De acordo com o comunicado, os relatos sobre as trapaças no jogo foram feitos por vários jogadores.

Veja também:

Para tranquilizar toda a comunidade, os desenvolvedores correram para avisar que este tipo de tecnologia ainda não estava implementada na versão beta do jogo de tiro, e por isso muitos jogadores presenciaram esse tipo de prática. Aliás, esse tipo de artimanha é comum em games anteriores da franquia e uma das maiores reclamações dos fãs. Os detalhes não ficaram claros de como isso será feito.

Call of Duty: WWII na E3 2017

A história de Call of Duty: WWII acompanhará o personagem Ronald “Red” Daniels, um recruta do Exército dos Estados Unidos que participa da guerra pela 1ª Divisão de Infantaria, também conhecida como “The Big Red One” e “Fighting First”. Esse pelotão participou de todos os principais conflitos que os EUA se envolveu, menos a Guerra da Coreia.

Através de comunicado oficial, a Sledgehammer Games também revelou que o novo Call of Duty trará de volta o combate como os “Nazi Zombies” em um novo modo cooperativo. Call of Duty: WWII promete ser um “retrato honesto da Segunda Guerra Mundial”. “Mais de dois anos e meio atrás, tomamos a decisão de devolver esta franquia às suas raízes, e Call of Duty: WWII faz isso de forma épica”, disse Eric Hirshberg, CEO da . O game será lançado em 3 de novembro para PS4, Xbox One e PC.

Pedro Cardoso

Carioca, jornalista e apaixonado por games, cinema e esporte. Jogo videogame desde o Atari.